terça-feira, 15 de novembro de 2011

Eleições 2012, São Paulo


Apesar das especulações sobre uma suposta desistência a favor do PT, o deputado Gabriel Chalita (PMDB-SP) obteve do vice-presidente Michel Temer todas as garantias para a sua manutenção na disputa.
Segundo Temer, falta lógica para um apoio do PMDB ao PT. A análise é que o PMDB é o maior partido do país e abriu mão da candidatura a presidente em 2010 a favor do PT, logo, desta vez, o PMDB tem a prioridade na eleição.
A presidenta Dilma Rousseff chegou até a sondar Temer sobre a possibilidade de indicar Chalita para Ministro do Turismo, quando Pedro Novais perdeu o cargo. Sem sucesso. O tom da conversa foi de brincadeira, sem muita determinação de Dilma para impor essa condição. Ficou claro que Chalita era mesmo candidato.
O PMDB investiu muito na candidatura nos últimos meses – mudou sua sede estadual, contratou pessoal de marketing e apostou na imagem de Chalita. O prejuízo, agora, seria grande.
Quando Chalita foi para o PMDB, Temer conversou com o ex-presidente Lula e com Dilma. Aos dois deixou claro o projeto do PMDB em São Paulo. Agora o vice está preparado para uma nova conversa. Vai propor que o PMDB apoiará, sem condições, o candidato do PT a governador de São Paulo em 2014, mas união na eleição municipal a favor do ministro da Educação, Fernando Haddad, só no segundo turno.
Caso Haddad chegue lá, claro.
Publicado por  prof: Gilvan (fonte: IG)

Nenhum comentário:

Postar um comentário