sexta-feira, 18 de novembro de 2011

Novo visual de Lula, sem barba e cabelo, repercute fora do país

As imagens do ex-presidente brasileiro Luiz Inácio Lula da Silva, 66, sem cabelo e barba também repercutiram na imprensa internacional.
Lula se antecipou anteontem à queda causada pela quimioterapia no tratamento contra um câncer de laringe. O trabalho foi realizado por sua mulher, a ex-primeira-dama Marisa Letícia.
O site da emissora britânica BBC deu destaque para a foto, ressaltando que, segundo os médicos, as chances de cura para Lula são boas.
Divulgação/Instituto Cidadania     
Marisa Letícia corta cabelo e barba do ex-presidente Lula
Marisa Letícia corta cabelo e barba do ex-presidente Lula
Além disso, a BBC informa que ele se destaca como uma figura política importante no mundo e foi um presidente com recorde de aprovação.
O jornal espanhol "El País" também estampou a foto em seu site, informando que Lula se antecipou aos efeitos da quimioterapia.
O periódico diz ainda que o ex-presidente tem desobedecido as ordens médicas e recebido visitas de amigos e companheiros políticos. A ordem médica é para que Lula evite forçar a voz.
Ontem, o site do argentino "El Clarín" ainda dava destaque na capa para o assunto. O jornal deu enfoque ao apoio e carinho que Lula, sorridente na foto, recebe de Marisa Letícia. Em uma das imagens, ela veste uma camiseta da campanha contra o câncer.
Concorrente do "El Clarín", o "La Nación" também deu destaque à foto ao afirmar que a barba era um símbolo para os seguidores do ex-presidente petista. Lula usava barba desde que surgiu politicamente no fim dos anos 70.
O jornal ressalta ainda o apelido que Brizola deu a Lula em 1989: "sapo barbudo", e o fato de o ex-presidente brasileiro ter optado por contar a todos sobre a doença, numa estratégia de "transparência total", diferentemente do presidente venezuelano, Hugo Chávez, que preferiu manter sigilo.
O chileno "La Tercera", por sua vez, estampou a foto de Lula sem barba e cabelo dando enfoque para a medicação que ele toma através de um cateter e ao fato de uma cirurgia estar descartada neste primeiro momento. 
Postado por prof: Gilvan (fonte: Folha .Com)

Nenhum comentário:

Postar um comentário