quinta-feira, 30 de julho de 2015

Novo trem de passageiro da Vale deve entrar em operação ainda no segundo semestre deste ano

Mineradora, que investiu cerca de US$ 55,6 milhões na frota da Estrada de Ferro Carajás, está finalizando os testes de operação do transporte novo, que proporcionará aos usuários mais conforto e assentos, além de vagões climatizados.

Ainda neste semestre, um novo trem de passageiros começará a circular na estrada de Ferro Carajás (EFC). Quem embarcar em algum dos 15 pontos ao longo da malha atendidos pelo serviço terá a oportunidade de conhecer todas as novidades e funcionalidades dos novos carros.
Foram adquiridos 39 carros, dos quais seis são executivos, 21 econômicos e 12 de serviços que incluem lanchonetes, restaurante especial para cadeirantes, bagageiro e gerador. Cada carro executivo da estrada de ferro tem capacidade para transportar 60 passageiros. Já nos econômicos, haverá 79 lugares. Além disso, toda a composição conta com detector de fumaça, aumentando a segurança dos usuários.

Novidades
Os carros da classe executiva contam com sistema som e iluminação individualizado. Outro diferencial são as poltronas, mas confortáveis. As novidades contemplam também os dois carros-restaurante que tem capacidade para, cada um, 72 lugares, o que representa um acréscimo de 56% em relação à frota que opera atualmente.
O investimento prevê ainda um novo sistema de abertura e fechamento  das portas externas, bem como as localizadas entre um carro e outro, que é automático. A travessia entre os carros também mereceu melhorias e ficará ainda mais segura e confortável.

Os novos carros de passageiros contam ainda com displays externos e internos, que exibem informações gerais sobre a viagem. Dados como destino e trajeto do trem, número dos carros, estações e paradas de embarque e de desembarque, entre outros, são algumas das orientações voltadas a facilitar ainda mais a viagem. 

Com a entrada em operação da nova fruto do trem de passageiros da Estrada de Ferro Carajás e a climatização de todos os carros, as pessoas que vendem alimentos às margens da ferrovia – as “bandequeiras” – deixaram de comercializar seus produtos na janela do trem.

Comércio
Para criar uma alternativa de renda que represente uma melhoria na vida dessas pessoas, a Fundação Vale implantou o Programa AGIR EFC (apoio  à Geração e Incremento de Renda).

Em parceria com instituições especializadas, a fundação Vale está promovendo capacitações e auxiliando esse público na busca por novos mercados consumidores.

Centenas de famílias de seis municípios maranhenses foram beneficiadas no inicio deste processo. Foram criados 22 negócios sociais em seis municípios do maranhão e um no Pará. Os benefícios do projeto incluem a qualificação e formalização do trabalho, a capacitação em gestão integrada do negócio, a remodelagem de embalagens e criação de logotipos, o fomento ao trabalho coletivo e o fortalecimento da autonomia e autoestima das participantes.
Por profº. Gilvan

Nenhum comentário:

Postar um comentário