terça-feira, 26 de janeiro de 2016

ENVOLVIDOS EM SEQUESTRO E MORTE EM ELDORADO DOS CARAJÁS SÃO PROCURADOS - Revista 30 - Seu Portal de Notícias

O corpo de David de Freitas foi encontrado na quinta-feira (21/01) em Eldorado dos Carajás (PA)
A Polícia Civil (PC) de Eldorado dos Carajás segue com as investigações para tentar localizar e prender mais três pessoas envolvidas no sequestro e morte de David Pereira de Freitas, de 19 anos. Segundo a polícia, o caso está praticamente solucionado, faltando apenas a localização e prisão dos envolvidos que estão foragidos.
Na última quinta-feira (21/01), por volta de 13 horas, uma equipe da PC e policiais militares de Eldorado e Xinguara, tendo à frente o delegado Heitor Magno, localizou e apreendeu um menor e prendeu outro jovem acusado de executar David.  Eles estavam escondidos em um barracão na área de ocupação da Fazenda Escalada do Norte, em Rio Maria, a 30 quilômetros de Eldorado do Carajás.
Jorge Xavier da Silva Filho, o Baiano, de 20 anos, e o menor, de 17 anos, confessaram o crime e levaram os policiais até o ponto onde mataram e queimaram o corpo de David. Eles detalharam que, após matar a vítima, cavaram uma cova e colocaram o corpo. Em seguida, jogaram combustível e atearam fogo.
Acusados do crime. Foto: Divulgação/PC.
Acusados do crime. Foto: Divulgação/PC.
David foi sequestrado em casa, por volta de 17 horas da quinta-feira anterior, dia 14, pelos dois acusados e uma terceira pessoa, que está foragida. Baiano e o menor contaram que mataram David no mesmo dia, a tiros, com uma pistola 380.  Ao serem informados que o corpo da vítima havia sido localizado e estava praticamente todo carbonizado, populares e pessoas ligadas a David se revoltaram e seguiram em direção ao posto de combustível que pertence a José Leandro Costa Feitosa, apontado como o mandante do crime.
Eles danificaram bombas de combustíveis e depredaram vidraças da área de escritório e depósito, assim como uma loja de conveniência que funcionava no posto. Policiais do Grupamento Tático da Polícia Militar foram acionados e conseguiram conter a manifestação e prender algumas pessoas envolvidas na depredação.

Posto danificado. Foto: Reprodução/Facebook.
Posto danificado. Foto: Reprodução/Facebook.

Por medida de segurança, para evitar uma possível invasão da Delegacia de Polícia Civil de Eldorado, os acusados foram levados diretos para a Superintendência Regional de Polícia Civil do Sudeste do Pará, em Marabá. Os restos mortais de David, assim como projeteis e a arma de fogo apreendida foram encaminhados ao Centro de Perícias Científicas Renato Chaves, também em Marabá, para passar por perícia.

Posto danificado pertence a José leandro, apontado como mandante do crime. Foto: Reprodução/Facebook.
Posto danificado pertence a José leandro, apontado como mandante do crime. Foto: Reprodução/Facebook.

Devido não restar quase nada do corpo, apenas parte de uma das mãos, somente um exame de DNA vai identificar se o corpo é realmente de David. Segundo o superintendente de PC, Marcelo Delgado, os acusados foram ouvidos ainda na quinta-feira e confessaram o crime. Ele adiantou que já foi decretada a prisão preventiva do proprietário do posto, assim como de outras três pessoas envolvidas no crime. “As investigações continuam para esclarecer todos os detalhes do crime e prender os demais envolvidos”, informa o superintendente.
De acordo com o comandante do Destacamento da PM em Eldorado, capitão Júlio Souza Nascimento, a operação para identificar e prender os acusados envolveu toda polícia do município. Ele conta que as pistas que surgiam eram averiguadas, porque havia o empenho em elucidar o caso.
Inclusive durante a manifestação que a família fez exigindo celeridade nas investigações, bloqueando a Rodovia BR-155, a PM esteve lá para evitar que houvesse confusão. Ele afirma que durante a depredação do posto, a polícia agiu rapidamente para evitar que o posto fosse incendiado, porque isso poderia causar outra tragédia. “Foi solicitado reforço do Destacamento de Curionópolis e conseguimos conter a manifestação, antes que acontecesse uma tragédia”, ressalta o comandante.
BAIANO TERIA MATADO UM POLICIAL MILITAR NA BAHIA
À frente da operação que resultou na apreensão e prisão de dois suspeitos, o delegado Heitor Magno diz que os acusados, apesar da pouca idade, são perigosíssimos. Jorge Xavier, o Baiano, inclusive confessou que matou um PM na Bahia quando ainda era menor de idade.
Após cumprir medida socioeducativa, temendo ser morto, veio para o Pará e se estabeleceu na área de invasão da fazenda Escalada. “Ele estava armado quando chegamos lá. Acredito que só não atirou na nossa equipe, porque foi pego de surpresa”, frisa o delegado, dizendo que ele continuou envolvido no mundo do crime, inclusive com tráfico de drogas e assassinatos.
Ele conta que a área onde eles estavam homiziados é de difícil acesso e também muito perigosa. “Lá impera a lei do mais forte”, diz. Segundo o delegado, que é titular da delegacia de Curionópolis, os dois estavam em companhia de outras quatro pessoas dentro de um barracão. Eles avistaram primeiro o menor, que foi logo abordado e, ao entrar no barracão, encontraram Baiano, que portava a pistola 380, com a qual diz ter matado David.
O delegado conta que a área já vinha sendo monitorada e era dada como certa que eles estavam escondidos lá. “O delegado Aquino esteve no local no último sábado, mas eles não estavam lá, porque estava acontecendo uma reunião da Prefeitura de Xinguara e havia uma guarnição da PM ali. Acho que isso os fez se esconderam. Graças a Deus, nessa segunda incursão, demos sorte”, enfatiza.
Heitor diz que os dois, após mostrarem onde estavam os restos mortais de David, detalharam que toda trama macabra começou após um assalto que aconteceu ao posto de combustíveis de José Leandro, de onde teria sido levado mais de R$ 100 mil antes do Natal. Roguinha, que é primo do menor, teria sido apontado com um dos participantes no assalto.
Por conta disso, para tentar livrar Roguinha da acusação, eles procuraram Leandro e pediram R$ 10 mil para localizar os ‘verdadeiros’ envolvidos no assalto. Na ‘investigação’ que fizeram chegaram a David, que era conhecido deles.
Leandro então forneceu o carro, o VW/Gol branco, usado por eles para fazer o sequestro. “Eles disseram que a intenção era fazer David confessar o crime, mas depois acabaram decidindo matá-lo”, pontua Heitor, frisando que eles ainda detalharam que após queimar o corpo, voltaram no dia seguinte para ver se ainda poderia ter restado alguma coisa que pudesse identificar a vítima, como arcada dentária.
Mas eles não conseguiram limpar todo o local e ainda ficou parte da mão da vítima, que foi enviada para o IML”, diz o delegado, ressaltando que toda investigação foi comandada pelo delegado José Euclides Aquino, titular da Delegacia de Eldorado.
FAMÍLIA COBRA JUSTIÇA E PRISÃO DE LEANDRO
Ainda em estado de choque, Eliene Caetano de Freitas, mão de David, diz que tudo que a família quer agora é justiça e que o mandante do crime, assim como outros envolvidos sejam presos. Ela diz que enquanto Leandro estiver solto, eles temem pela segurança de outros parentes. Ela garante que o filho, que era casado e pai de um menino de dois anos, era pessoa de bem. “Eles [acusados] poderiam ter deixado meu filho vivo. O que eles fizeram foi uma brutalidade. Nem velório vou poder fazer para o meu filho”, desabafa, chorando muito.
Ela também diz que a família não teve qualquer envolvimento na destruição do posto de José Leandro. “Foi a população, revoltada com a brutalidade do crime, que agiu por conta própria”, garante. Também pedindo Justiça, o tio de David, Genésio Antunes diz que essa não é a primeira pessoa assassinada a mando do Leandro. “Ele é acostumado a fazer isso e ninguém faz nada. A justiça não chega a essas pessoas”, dispara.
Ele também diz que os dois acusados contaram com o apoio de um tio do menor de idade, conhecido como Nedir, que seria presidente da Associação dos Acampados da Fazenda Escalada. Segundo Genésio, Nedir também comandaria diversos crimes naquela localidade. A família diz que Leandro tramou todo o crime. Eles mostraram com exclusividade à Reportagem da TV e Jornal Correio uma foto em que os dois acusados aparecem dentro do escritório do posto de Leandro. “Ele foi o mentor de tudo”, diz que Genésio.
Fonte: CT Online (adaptado pelo Revista30).
Por profº. Gilvan

Nenhum comentário:

Postar um comentário