Informar bem é o nosso compromisso!

sexta-feira, 31 de outubro de 2014

QUALQUER SEMELHANÇA COM SÃO PEDRO DA ÁGUA BRANCA NÃO É MERA COINCIDÊNCIA!

Maranhão é destaque de fome e miséria na imprensa nacional

O estado que lidera os rankings de pobreza no país, ainda sofre com escolas precárias e o alto índice de miseráveis.
Sem merenda escolar crianças têm queda no rendimento escolar. Crédito: Reprodução TV/Mirante
Sem merenda escolar crianças têm queda no rendimento escolar. Crédito: Reprodução TV/Mirante
O Maranhão foi destaque mais uma vez em rede nacional sobre a má qualidade do ensino e precariedades das escolas públicas, principalmente no interior do estado. Segundo reportagem exibida no telejornal Bom Dia Brasil da Rede Globo, desta sexta-feira (31), alunos do município de Bom Jardim, a 277km de São Luís, estão sendo liberados mais cedo devido a falta de merenda escolar, deixando os alunos com fome e afetando o rendimento escolar. A reportagem mostrou ainda escolas sucateadas e sem condições de receber os estudantes. Outra denuncia grave apresentada pela reportagem foi a falta de banheiro nas escolas, obrigando os estudantes e professores a usarem terrenos próximo as instituições, que muitas vezes ainda são feitas de barro e sem energia elétrica.
 
“É necessário sair mais cedo por conta da falta de alimentação na escola e o trabalho fica prejudicado”, afirmou um professor à reportagem. Já a mãe de um aluno, reclamou da falta de merenda escolar “Se eu não tiver dinheiro para dar para ele comprar um lanche, eu não trago ele para a escola, porque do jeito que as coisas estão não tem jeito”.

Diante das péssimas condições das escolas alunos saem mais cedo. Crédito foto: Reprodução TV/Mirante.
Diante das péssimas condições das escolas alunos saem mais cedo. Crédito foto: Reprodução TV/Mirante.
A Promotoria de Justiça de Bom Jardim, após receber diversas denúncias, já havia ingressado, no início desse ano com uma Ação Pública com pedido de Liminar cobrando a regularização do fornecimento de merenda escolar. De acordo com as denuncias recebidas pelo Conselho Tutelar da cidade, várias escolas já estariam sem merenda escolar, o que levou na época à diminuição em uma hora diária na carga horária dos estudantes. A assessoria do município afirmou não possuir atualmente recurso para regularizar a situação da falta de merenda escolas nas escolas da cidade.

Condições precárias em escolas e creches, além da miséria nas cidades no interior do estado têm sido mostradas constantemente na imprensa nacional. E parece que pouca coisa mudou durante os anos. Segundo o estudo Escolas Esquecidas, pesquisa realizada pelo Instituto CNA, ligado à Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil, o país possui 508 escolas rurais que não possuem condições de infraestrutura e baixa aprovação de alunos. Só no maranhão, segundo a pesquisa, 22 escolas possuem péssimas condições como falta de salas, cadeiras, e falta de merenda escolar o que eleva o número de estudantes que decidem abandonar os estudos.
 
O Fantástico chegou a noticiar no inicio desse ano algumas dessas escolas no município de Codó, a 297km de São Luís. A reportagem da revista eletrônica apurou as péssimas condições das escolas no município que são construídas em chão de areia e paredes de barros e não possuem banheiros, mesas, cadeiras e quadros, além de cozinha e consequentemente falta merenda escolar na maioria das escolas.

Outro município que foi destaque na imprensa nacional foi Belágua, a 283km da capital, após ser considerada cidade com maior quantidade de votos proporcionais para a então candidata a presidência Dilma Roussef, nas eleições desse ano (quase 94% dos votos dos 3.558 votos no segundo turno). O município que segundo pesquisa realizada pelo IBGE em dezembro do ano passado, saltou mais de mil posições no ranking de cidades por PIB per capita, ainda convive com a pobreza e a miséria da grande maioria dos moradores da região, que tiram seu sustento principalmente de programas de assistência social do governo federal e venda da farinha de mandioca.

Pelos dados do governo federal, Belágua está entre os 10 municípios com a maior quantidade de pessoas que recebem o Bolsa Família, com 96% dos moradores cadastrado no programa do governo federal, ocupando o oitavo posto em nível nacional. São 1.814 famílias beneficiadas do total de 6.524. Segundo ainda pesquisa elaborada pela FGV (Fundação Getúlio Vargas), 93% da população do município vive abaixo da linha da miséria (em regra, a marca é de 70 reais).
Fonte: Jornal O Imparcial
Por Prof: Gilvan

Leia Mais >>

quarta-feira, 29 de outubro de 2014

IGREJA CATÓLICA DO MUNICÍPIO DE SÃO PEDRO DA ÁGUA BRANCA FAZ MISSA PELA MANHÃ EM LEMBRANÇA AOS 18 ANOS DA MORTE DE PADRE GERALDO SCHALFF

Depois da celebração foi servido um almoço gratuito para dezenas de convidados para lembrar as boas ações que Geraldo promoveu durante sua passagem pelo município.
 
Padre Geraldo Schalff, um presente de DEUS para o povo de São Pedro da Água Branca. Ele combateu o bom combate, terminou a sua carreira, guardando a sua fé.

Padre Geraldo Schalff foi um dos cidadãos mais prestantes do município de São Pedro da Água Branca, foi um padre que com a ajuda dos seus amigos da Alemanha prestou serviços sociais importantíssimos e de muita relevância aos São - pedrenses. Construiu vilas habitacionais para os mais carentes (Vila do Padre e Vila Conceição), construiu um Centro Catequético que além de sua grande utilidade para a comunidade carente representa na atualidade um dos principais cartões postais da cidade, construiu poços artesianos com lavanderias e chafariz, que ficou  a disposição da população ao longo de vários anos, mesmo após sua morte. Construiu a casa da merenda onde era servido merenda a todas as crianças da cidade pela parte da manhã e pela tarde, ajudou várias pessoas no tratamento dos seus enfermos dentro e fora do município, patrocinou a construção e a cobertura de casas de muitos habitantes pobres de São Pedro, entre outros...

Ele foi na realidade como muitos dizem, o primeiro prefeito dos São - pedrenses. De sua morte para cá o município se emancipou e algumas pessoas ocuparam e ocupam no momento esse importante cargo de poder, mas em vez de se comportarem como prefeitos seguindo o bom exemplo do saudoso Padre Geraldo, se comportam como “imprefeitos’’ perseguindo o povo e até desviando recursos que deveriam ser destinados para amenizar o sofrimento dos mais necessitados.

Padre Geraldo dedicou como ninguém seus últimos dias de vida para ajudar aos pobres de São Pedro da Água Branca e suas virtudes justificam plenamente a homenagem feita em honra ao seu nome. A Praça Padre Geraldo Schalff, por exemplo, foi assim denominada mediante projeto de Lei do Poder Executivo 0006/2007, de autoria do vereador José Lima. A Praça Padre Geraldo Schalff é conhecida como a Praça da Igreja Matriz, que em homenagem ao Padre Geraldo passou a ser denominada “Praça Padre Geraldo”.  Esta praça é de propriedade da Igreja Católica, embora não haja documentos que comprovem o pagamento da área, Padre Geraldo comprou e pagou o terreno para que lá a Igreja tivesse direito a uma Praça adequada.

Padre Geraldo Schalff fincou residência como Pároco da Igreja Católica de São Pedro da Água Branca no mês de Outubro de 1986, antes desse período a Igreja do município fazia parte da Congregação da Igreja Católica do Município de Cidelândia. Padre Geraldo morreu de Câncer na Alemanha seu país natal em 29 de Outubro de 1996, durante o período que permaneceu afastado de São Pedro fazendo o tratamento de sua doença, em suas conversas sempre deixou transparecer que a maior paixão de sua vida era ajudar o povo pobre e carente de São Pedro da Água Branca.

Images do evento

     Imagem Lateral do Templo da Igreja Católica de São Pedro da Água Branca

  Imagem Frontal do Templo da Igreja Católica de São Pedro da Água Branca



Todos queriam tocar na foto do Padre Geraldo



Hora da Comunhão

Depoimento: Quem foi Padre Geraldo para você?

 Martinho Cantanhede Araújo, Presidente dos vicentinos da Igreja Católica de São Pedro da Água Branca.

                                                                                                              
Irmã Maria José da Congregação Irmã Missionária de Ação Paroquial.

O legado de Padre Geraldo Schalff

Uma Igreja Católica forte e um rebanho com muita fé, esse foi grande legado deixado por Padre Geraldo Schalff em São Pedro da Água Branca.
Por prof: Gilvan

Leia Mais >>

terça-feira, 28 de outubro de 2014

TEMPOS DIFÍCEIS!

Vereadora Dra Lillian: Um convite para a reflexão.
São tantas provas dos desvios de nossos recursos, de atos ilícitos cometidos pelo Gestor, mas mesmo assim os vereadores situacionistas preferem ignorar tudo isso e justificar para a população, "que estão conversando com o Prefeito para resolver", fica ai a pergunta: Esta é a função do vereador? Conversar? Mesmo depois de tantas denúncias graves? Depois de 5 anos e meio de problemas, onde a população sofre com uma Saúde Pública de péssima qualidade, entre inúmeras mazelas que não é necessário citar aqui, mas que todos são sabedores. Ainda tem que se conversar? Eu como Vereadora faço aqui uma outra pergunta: É correto esquecermos e negligenciarmos o nosso dever de fiscalizar?
Blog da Drª Lillian
Por prof: Gilvan

Leia Mais >>

Membros da CPI da Corrupção e grupo político do prefeito Vanderlúcio são suspeitos de comandar pizzaria na Câmara de Vereadores de São Pedro da Água Branca


Foto: Facbook do #GrupoAcordaSãoPedro. Imagem editado por Rosânia Brandão

Manobras dos Membros da CPI da Corrupção juntamente com grupo político do prefeito Vanderlúcio Simão Ribeiro, pode inviabilizar aprofundamento das investigações de irregularidades na administração municipal de São Pedro da Água Branca.

Membros da CPI da Corrupção tem 90 dias para apresentar o relatório final das investigações das denúncias protocoladas na Câmara pela Vereadora Drª Lillian e que teve as assinaturas também dos Vereadores Chiquin da Van e Sônia Maria.  A CPI da Corrupção foi instaurada na Câmara de Vereadores no dia 25/08 e o prazo para apresentar o relatório final dos trabalhos investigativos se encerram no dia 5 de Dezembro, até o momento nenhum dos acusados foi convocado oficialmente pela Comissão para depor sobre as denúncias de irregularidades na gestão Vanderlúcio, envolvendo ele e seu grupo político.

Com o cancelamento da sessão na data de ontem 27/10, já são duas sessões consecutivas que a CPI da Corrupção deixa de prestar esclarecimento sobre o andamento de suas atividades. Na segunda-feira anterior 21/10, apenas 3 vereadores compareceram na Câmara e comandaram a sessão, foram eles: Vereadora Lillian, Francildo Moura e Sônia Maria.

Vereadora Drª Lillian X CPI da Corrupção

A Vereadora Drª Lillian divulgou no dia 21/10 nota de esclarecimento sobre a CPI da Corrupção, onde informou sobre o pedido de explicação a respeito dos trabalhos da CPI e do protocolamento de requerimentos convocando 6 pessoas para depor perante a Comissão Parlamentar de Inquérito.

Veja os requerimentos com a nota de esclarecimento logo abaixo:

NOTA DE ESCLARECIMENTO

       Com intuito de esclarecer perante a opinião pública as denúncias de Corrupção que envolvem a atual administração, e já estão sendo inclusive objeto de investigação por uma CPI instaurada na Câmara de Vereadores de São Pedro da Água Branca, venho a público expor os requerimentos que protocolei na Câmara na data de hoje.



São Pedro da Água Branca, 21 de Outubro de 2014.




Lillian Gonçalves de Oliveira PP
VEREADORA


Ex.ma Presidente da Comissão Parlamentar de Inquérito:


                           LILLIAN GONÇALVES DE OLIVEIRA, Vereadora vem, perante V. Ex.a, requerer explicação detalhada e por escrito do andamento do processo da Comissão Parlamentar de Inquérito, desde o acolhimento pelo egrégio plenário, instalação e atos subseqüentes, na conformidade da legislação aplicável à espécie.

P. deferimento.

São Pedro da Água Branca, 21 de outubro de 2014.




Lillian Gonçalves de Oliveira PP
VEREADORA



Ex.ma Presidente da Comissão Parlamentar de Inquérito:

                            LILLIAN GONÇALVES DE OLIVEIRA, Vereadora vem, perante V. Ex.a, requerer a oitiva de Divino Pereira da Silva, na qualidade de empresário e de servidor público municipal (assistente social) por essa CPI, na conformidade da denúncia por infração político-administrativa.

P. deferimento.

São Pedro da Água Branca, 21 de outubro de 2014.




Lillian Gonçalves de Oliveira PP
VEREADORA


  

Ex.ma Presidente da Comissão Parlamentar de Inquérito:


                            LILLIAN GONÇALVES DE OLIVEIRA, Vereadora vem, perante V. Ex.a, requerer a oitiva de Vanderli dos Reis Simão, na qualidade de irmão do Prefeito Municipal e de quem assina pela D.P. SILVA CONSTRUÇÕES por essa CPI, na conformidade da denúncia por infração político-administrativa.

P. deferimento.

São Pedro da Água Branca, 21 de outubro de 2014.




Lillian Gonçalves de Oliveira PP
VEREADORA

  

Ex.ma Presidente da Comissão Parlamentar de Inquérito:



                            LILLIAN GONÇALVES DE OLIVEIRA, Vereadora vem, perante V. Ex.a, requerer a oitiva de GISLY KEILA SOUZA DOS SANTOS RODRIGUES, MARIVALDA DE OLIVEIRA MARTINS, ELNATAN GREGÓRIO DE LIMA, integrantes que assinam e compõem a Comissão Permanente de Licitação – CPL e que, portanto devem ser ouvidos pela CPI, na conformidade da denúncia por infração político-administrativa.


P. deferimento.

São Pedro da Água Branca, 21 de outubro de 2014.



                                    Lillian Gonçalves de Oliveira PP
                                              VEREADORA
                                                     


Ex.ma Vereadora Presidente de Comissão Parlamentar de Inquérito:

                            LILLIAN GONÇALVES DE OLIVEIRA, Vereador vem, perante V. Ex.a, requerer a convocação de Idelfonso Ataíde, vendedor de uma fazenda para Vanderlúcio Simão Ribeiro, para depor perante essa CPI, na forma e termos da legislação pertinente.

P. deferimento.

São Pedro da Água Branca, 20 de outubro de 2014.



___________________________________

Vereadora Lillian Gonçalves de Oliveira PP

Denúncias de Irregularidades na Gestão Vanderlúcio

Veja as acusações que pesam contra o prefeito Vanderlúcio, e que estão sendo investigadas por uma CPI na Câmara de Vereadores de São Pedro da Água Branca. 

- Desvio de finalidade dos convênios com o Ministério do Turismo;
- Abuso de poder;
- Por causar prejuízo ao patrimônio público;
- Por indício de desvio de recurso público;
- Por licitar e contratar empresa de “fachada”;
- Por atos de improbidade administrativa;
- Por infração à Lei de Licitações e Contratos;
- Por se omitir ao seu dever com a educação básica pública;
- Por se omitir ao seu dever com merenda escolar de qualidade;
- Por se omitir ao seu dever com a saúde pública;
- Por desmatamento da floresta de babaçual;
- Por Lavagem de dinheiro;
- Por superfaturaramento de obras e contratos na locação de veículos;
- Por uso da estrutura e recursos públicos para favorecimento pessoal e de particulares.

Quem São os Membros permanentes da CPI da Corrupção

Presidente da da CPI - Vereadora Betânia
Relator da CPI - Vereador Zé Lima do PT 
                      - Vereador Gildeon
 Por prof: Gilvan

Leia Mais >>

segunda-feira, 27 de outubro de 2014

Jovem que torturou rival em Praia Grande, SP, se apresenta e é presa

Após quase um mês desaparecida, Elisângela se apresentou no litoral. Suspeita apagou cigarro e espancou rival enquanto o ato era filmado.
Fonte: G1
Elisângela sai algemada da Delegacia da Mulher de Praia Grande, SP (Foto: LG Rodrigues/G1)

Elisângela sai algemada da Delegacia da Mulher de Praia Grande, SP (Foto: LG Rodrigues/G1)
A jovem Elisângela Fernandes Maciel, de 22 anos, apontada como a autora de uma série de torturas contra uma adolescente em Praia Grande, no litoral de São Paulo, foi presa por volta das 14h45 desta segunda-feira (27), após se apresentar na Delegacia da Mulher da cidade. Elisângela, que havia desaparecido há cerca de um mês, estava com a prisão preventiva decretada e havia combinado com a polícia de se apresentar nesta segunda.
Segundo a delegada Rosemar Cardoso, responsável pelo caso, Elisângela se apresentou na delegacia imaginando estar protegida pela lei eleitoral, com a certeza de que não ficaria detida. No entanto, ela não possui título de eleitor, o que possibilitou sua prisão. "O artigo 236 veta a prisão de qualquer eleitor, mas ela não é eleitora. A Elisângela não está inscrita na Justiça eleitoral. Isso foi declarado por ela e certificado pela Justiça Eleitoral. A lei não a protege. A Elisângela está presa", afirma a delegada.
Elisângela gravou depoimento falando sobre as agressões (Foto: Reprodução/Facebook)
Elisângela gravou depoimento falando sobre as

agressões (Foto: Reprodução/Facebook)
As torturas vieram à tona no dia 29 de setembro, quando um vídeo mostrando Elisângela apagando cigarros no rosto da vítima foi divulgado e compartilhado por milhares de pessoas pelas redes sociais. Na gravação, que tem pouco mais de um minuto, a vítima aparece com vários ferimentos no rosto e também é agredida com socos por causa de uma suposta traição amorosa.
Elisângela chegou na delegacia com o rosto protegido por um óculos e um capuz cobrindo a cabeça. Ela não conversou com a imprensa e foi direto para a sala de depoimento. De acordo com a delegada Rosemar Cardoso, responsável pelo caso, um laudo deverá ser apresentado nos próximos 15 dias apontando o grau das agressões sofridas pela vítima, que também está passando pelo acompanhamento psicológico de um profissional, que deverá incluir no inquérito informações sobre a condição da jovem.
Por volta das 17h30, Elisângela foi levada, algemada, ao Instituto Médico Legal (IML), para exames padrão, e depois encaminhada à cadeia do 2º Distrito Policial (DP) de São Vicente, também no litoral paulista, onde ficará à disposição da Justiça.
Título de eleitor
O fato de Elisângela não possuir título de eleitor pode ter ocasionado outros problemas à jovem, além de sua prisão. Segundo o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o documento é obrigatório a todos os cidadãos com mais de 18 anos e facultativo para quem tem entre 16 e 18 anos, ou mais de 70. O título é também opcional para cidadãos não alfabetizados. Quem não possui o título, ou se o mesmo encontra-se cancelado, não pode solicitar a emissão de passaporte ou do cartão do CPF, inscrever-se em concursos públicos, renovar a matrícula em estabelecimentos oficiais de ensino, obter empréstimos em caixas econômicas federais e estaduais, entre outras restrições.

Jackeline Justino de Souza, de 21 anos, é suspeita de ser cúmplice de tortura em Praia Grande, SP (Foto: Reprodução/Facebook)
Jackeline Justino de Souza é suspeita de ser

cúmplice da tortura (Foto: Reprodução/Facebook)
Desdobramentos
Além de Elisângela, a jovem Jackeline Justino de Souza, de 21 anos, foi indiciada pelas agressões. Ela se apresentou espontaneamente no dia 7 de outubro e acabou sendo presa. A advogada da suspeita, Sabrina Dantas, entrou com um pedido de revogação da prisão temporária, que foi negado pela 2ª Vara Criminal da Justiça de Praia Grande. Durante entrevista ao G1, Jackeline, que já havia respondido por outro caso de agressão,negou ter participado do crime. "Eu estava no local, mas apenas gravei. Não tinha como pedir ajuda porque o apartamento estava trancado. Insisti para que a Elisângela parasse. Falei que a vítima poderia morrer", explicou.

Após a prisão de Jackeline, Elisângela, que estava desaparecida, resolveu gravar um vídeo dando a sua versão sobre a agressão. O vídeo foi feito em comum acordo com o advogado da suspeita e ela afirmou estar arrependida. Segundo Elisângela, a agressão ocorreu porque a vítima perseguia insistentemente o namorado dela, tentando de todas as maneiras interferir no relacionamento. "Ela falava que ia ficar com ele e mandava mensagens. Ele sempre me mostrou e falou que ela era uma vagabunda. Tentei falar com a mãe dela para não me complicar porque ela é menor de idade. A mãe prometeu dar um jeito, mas não adiantou nada. Nenhuma mulher tem sangue de barata. Bati nela porque ela é safada. Agora está se fazendo de coitada", afirmou.
Já a jovem torturada, uma adolescente de 17 anos, afirma que foi sequestrada e espancada após Elisângela suspeitar de uma traição. Segundo ela, o crime ocorreu no dia 30 de setembro. Em entrevista do G1, ela disse nunca ter se relacionado com o rapaz enquanto ele estava com a outra. "Ela não tem que fazer isso com ninguém. Não tem preço o que ela fez. Espero que ela amargue na cadeia, que é o lugar dela", criticou a jovem que, além das queimaduras causadas pelo cigarro, sofreu uma deformação no crânio.
Segundo a delegada Rosemar Cardoso, três agressoras foram identificadas, incluindo Elisângela, já que outras duas mulheres ajudaram na ação. “Houve o sequestro, o cárcere na casa e a tortura. Era a casa onde ela [agressora] morava com ele”, afirmou a delegada. O crime por tortura tem pena de dois a oito anos e pode aumentar de um sexto até um terço, caso o crime seja cometido contra uma adolescente e mediante sequestro. Além disso, é inafiançável. “A investigação vai continuar para encontrar todas as agressoras”, conclui a delegada.
Por prof: Gilvan

Leia Mais >>

  ©Blog O folheto - Todos os direitos reservados.

Template by Dicas Blogger | Topo