Informar bem é o nosso compromisso!

quinta-feira, 26 de março de 2015

Juiz determina indisponibilidade e bloqueio de bens de prefeito e secretários

Decisão do titular da Comarca de Humberto de Campos, juiz Marcelo Santana Farias, determina a indisponibilidade e o bloqueio dos bens do prefeito do município, Raimundo Nonato dos Santos, e dos secretários municipais de Educação e Obras, além do presidente e de integrantes da Comissão Permanente de Licitação, bem como de um empresário, até o valor de R$ 143.594,54 (cento e quarenta e três mil, quinhentos e noventa e quatro reais e cinquenta e quatro centavos). O bloqueio deve ser “via Bacen Jud ou através do Banco Central, dos valores citados nas contas-correntes, contas poupança e demais investimentos financeiros dos requeridos através do CPF e/ou CNPJ, os quais somente poderão ser movimentados por determinação do Juízo, salvo os créditos de natureza alimentar”, consta da decisão. No documento, o magistrado determina ainda o impedimento da transferência, por atos de alienação ou disposição, dos bens dos requeridos.
201404010511300000006920
Prefeito de Humberto de Campos, Raimundo Nonato dos Santos
A medida atende à Ação Civil Pública por Ato de Improbidade Administrativa com Pedido de Indisponibilidade de Bens interposta pelo Ministério Público Estadual em face do prefeito e dos demais requeridos. Na ação, o autor solicita ainda o afastamento liminar do prefeito. Antes de apreciar o pedido de afastamento, o magistrado concedeu o prazo de (05) cinco dias para o gestor se manifestar a respeito.
Irregularidades – Consta da ação que os requeridos estariam “utilizando a estrutura administrativa do município de Humberto de Campos para desviar dinheiro público mediante fraude e licitação e ainda cometeram outras ilegalidades com o fim de ocultar crimes e atos de improbidade”, o que teria gerado prejuízo ao erário.
De acordo com o MPE, na prestação de contas ao Tribunal de Contas do Estado – TCE-MA, o prefeito teria apresentado processo licitatório e respectivo processo de pagamento de uma quadra poliesportiva em escola no povoado Taboa, e que teria custado aos cofres do município de Humberto de Campos o valor de R$ 143.594,54 (cento e quarenta e três mil, quinhentos e noventa e quatro reais e cinqüenta e quatro centavos). Segundo o autor da ação, a obra é “fantasma” e vem se tornando mais cara ainda, já que, para ocultar o desvio do dinheiro público, o prefeito vem contratando outras empresas ou terceiros para construírem a referida quadra, usando para isso dinheiro público e veículos a serviço da prefeitura, a exemplo do trator utilizado para a coleta de lixo na cidade.
Fraude – Relata o MPE que a “trama criminosa e imoral” teria iniciado com as irregularidades no processo de licitação, entre as quais a ausência de cronograma financeiro, memorial descritivo, projeto básico, critérios para indicar os valores na planilha orçamentária. O autor destaca ainda a não observação do prazo de (05) cinco dias entre a data do recebimento da carta convite e a realização da sessão pública para entrega de documentação e proposta, ausência da identificação do recebedor no protocolo de recebimento do convite. Ainda segundo o MPE, todas as propostas têm data posterior à data da realização da licitação, o que evidencia grosseira fraude.
Para o MPE, além do prefeito, a quem o autor imputa o extenso rol de irregularidades, “a secretária de educação também incorreu em ato de improbidade administrativa, já que, na qualidade de gestora, assinou eletronicamente a transferência de valores para pagamento de serviços não prestados”, assim como o secretário de obras, que assinou medições de obra inexistente. Na visão do MPE, também o presidente e os integrantes da CPL requeridos emprestaram sua colaboração, já que teriam praticado atos de simulação da licitação.

Segundo o autor da ação, outros casos semelhantes estão sendo investigados, como os dos povoados de Mutuns, Serraria e São João.
SÃO PEDRO DA ÁGUA BRANCA
O Prefeito de São Pedro da Água Branca Vanderlúcio Simão Ribeiro(PMDB), também vem se utilizando em sua administração de esquema semelhante ao ocorrido no município de Humberto de Campos. Vanderlúcio  é suspeito de desviar recursos no município de São Pedro superiores a mais de 20 milhões de reais; só nas prestações de contas avaliadas e reprovadas pelo TCE-MA, referentes aos anos 2009 e 2010 foram comprovados desvios da ordem de quase sete milhões de reais. Além disso,  ele criou várias empresas de fachadas e se utiliza de empresas parceiras também de fachada, que vencem todas as licitações viciosas e fraudulentas e abocanham todos os contratos da prefeitura.
Foto de Vanderlúcio com o filho Samuel Kesley(Secretário de Finanças). O prefeito Vanderlúcio tem aplicado o dinheiro público desviado do município,  comprando várias fazendas nas redondezas da cidade de São Pedro, investindo em plantação de seringas e pecuária, imóveis no Maranhão, Pará, Goiás, Máquinas (Patrol, tratores e outras) e vários carros de luxo.

Entenda o caso

O ano de 2014 serviu para engordar as contas bancárias de muita gente em São Pedro da Água Branca, isso graças a uma quadrilha bem articulada que se instalou na prefeitura de São Pedro da Água Branca para desviar os recursos públicos do município, através de Empresas de Fachada que estão em nomes de laranjas ou parentes do prefeito Vanderlúcio Simão Ribeiro.

O esquema corrupto que já desviou milhões dos cofres da prefeitura conta com a proteção ilimitada da maioria dos vereadores de São Pedro, que estão fazendo uma super blindagem em torno do prefeito Vanderlúcio e de todos os secretários para evitar que tamanha sujeira fétida venha a prejudicar os responsáveis por tantos prejuízos causados a população São-Pedrense.

Veja algumas Empresas de Fachada, que atuam em São Pedro da Água Branca

D. P. SILVA CONSTRUÇÕES-ME

No município de São Pedro da Água Branca o Prefeito Vanderlúcio Simão Ribeiro é suspeito de comandar uma organização que lava o dinheiro Público, através de Empresas de Fachada, que estão em nomes de parentes ou laranjas, vencem licitações viciadas que envolvem milhões de reais.  A prefeitura contratou em 2013 e 2014 a D. P. SILVA CONSTRUÇÕES-ME, Empresa que é administrada pelo Irmão do prefeito Vanderlúcio Simão Ribeiro. A Empresa tem como dono no contrato o funcionário fantasma "Sr. Divino Pereira da Silva", que consta na folha de pagamento do ano 2013 prestando serviço ao município como Assistente Social, recebendo o salário de 2.004,00 reais, porém ninguém conhece esse funcionário no município.  No entanto quem assina pela D. P. SILVA CONSTRUÇÕES-ME, é Vanderli dos Reis Simão, irmão do prefeito Vanderlúcio. Apesar de ter vencido contratos milionários no município para pavimentar ou recuperar as vias urbanas e vicinais, entre outros, até o momento esta empresa é desconhecida pela população São-Pedrense. Todas as obras licitadas pela D.P Silva até a presente data, são feitas por maquinário da prefeitura e funcionários pagos pela mesma.
Maquinário da prefeitura trabalhando na Praça de Eventos localizada em frente a Igreja Católica de São Pedro da Água Branca, obra de responsabilidade da Empresa de Fachada D. P. Silva Construções-Me.

Irmão do prefeito Vanderlúcio, Vanderli dos Reis Simão, responsável pela Empresa D.P.Silva Construções-Me, vistoriando  e coordenando a obra da  Praça de Eventos, licitada pela Empresa de fachada D. P. Silva Construções-ME, mas que na realidade não está sendo feita pela empresa e sim pela própria prefeitura.
Patrol do PAC 2 fazendo o trabalho inicial no local da Praça de Eventos para favorecer a Empresa de Fachada D.P. Silva Construções-ME.
                   
Vanderli dos Reis Simão(Irmão do Prefeito Vanderlúcio) dono da Empresa D.P.Silva Construções-ME fiscalizando a Obra.
A Empresa D. P. SILVA CONSTRUÇÕES-ME, tem realizado inúmeros contratos com o município em diferentes áreas de atuação, de forma que a cidade é um cemitério de obras inacabadas e de péssima qualidade, visto que não existe nenhum acompanhamento técnico especializado e muito menos fiscalização durante a execução das obras, facilitando a ação dos fraudadores que se escondem por trás da empresa de fachada.
Na certidão negativa da D. P. CONSTRUÇÕES-ME, Vanderlí(irmão do prefeito) assina por Divino Pereirda da Silva(funcionário fantasma da prefeitura). Outra irregularidade é o fato de que a empresa apresentou endereço de fachada. No local onde deveria existir uma empresa funcionando, mora uma família.

A EMPRESA MULT COMÉRCIO E SERVIÇOS-ME LTDA  

No ano de 2013 a Prefeitura de São Pedro da Água Branca contratou a Empresa, MULT COMÉRCIO E SERVIÇOS-ME LTDA, Empresa de Fachada, utilizada pelo prefeito Vanderlúcio Simão Ribeiro, para lavagem de dinheiro público. O contrato se deu através de pregão presencial e o mesmo tratou da locação de veículos para supostamente atender a todas as secretarias do município, no valor de 2.755.105,85, apesar do montante em recursos repassados a empresa ser exorbitante, constata-se por simples averiguação que os carros nunca apareceram.

H.M MOURA COMÉRCIO E SERVIÇOS E REPRESENTAÇÕES LTDA

No ano de 2014 o desvio de recursos foi ainda maior, o Prefeito de São Pedro da Água Branca gastou o equivalente a R$ 4,4 milhões em seis contratos de locação de veículos, desta vez com outra empresa, a H.M MOURA COMÉRCIO E SERVIÇOS E REPRESENTAÇÕES LTDA. Por pregão presencial, a empresa levou os contratos, que deveriam atender as seguintes secretarias de Administração e Finanças, R$ 167.100,00 cento e sessenta e sete mil e cem reais); Educação, Cultura, Desporto e Lazer, R$ 966.800,00 (novecentos e sessenta e seis mil e oitocentos reais); Saúde, R$ 196.950,00 (cento e noventa e seis mil novecentos e cinquenta reais); Ação Social, R$ 282.000,00 (duzentos e oitenta e dois mil reais); Gabinete do Prefeito, R$ 167.100,00 (cento e sessenta e sete mil e cem reais); e só para a Secretaria de Obras, Transporte e Serviços Urbanos, foram dois contratos, um para locação de veículos, no valor de R$ 1.417.200,00 (um milhão quatrocentos e dezessete mil e duzentos reais) e outro para locação de patrulha mecanizada, pelo qual serão pagos R$ 1.220.000,00 (um milhão e duzentos e vinte mil reais).

Detalhes – Ainda sobre o super pacote de contratos da Prefeitura de São Pedro da Água Branca, é importante lembrar que todos eles vigoraram até 31 de dezembro de 2014 (quatro deles assinados em 13 de janeiro e outros três, em 16 de janeiro). Mas quando houve uma necessidade real para a utilização destes veículos, os secretários alegaram a inexistência de transporte disponível para atender as necessidades em específico solicitadas, como foi o caso da secretaria de saúde que não dispunha dos veículos supracitados. Que deixou muitas vezes de transportar pacientes, como no caso dos pacientes de hemodiálise. Que independente das divergências dos horários, todos tinham que aguardar um único veículo para fazer o transporte de todos os pacientes. Condicionando-os a uma condição de exaustiva e desgastante espera.

Outro dado curioso do pacotão é o fato de que o Gabinete do Prefeito e a Secretaria de Administração e Finanças tiveram a mesma necessidade de veículos: os dois contratos tinham exatamente o mesmo valor: R$ 167.100,00.

EM SÃO PEDRO DA ÁGUA BRANCA EMPRESA DE FACHADA ATUA EM TODOS OS SETORES

A H.M MOURA COMÉRCIO E SERVIÇOS E REPRESENTAÇÕES LTDA emplacou outros contratos com o município, todos por pregão presencial, no valor total de R$ 2.820.603,16 (dois milhões, oitocentos e vinte mil, seiscentos e três reais e dezesseis centavos). Os contratos, assinados em 13 de janeiro de 2014, vigoraram até 31 de dezembro deste mesmo ano.

Comida… – Só para aquisição de gêneros alimentícios foram assinados três contratos entre a H.M MOURA COMÉRCIO E SERVIÇOS E REPRESENTAÇÕES LTDA. e a Prefeitura de São Pedro da Água Branca: um, de alimentos perecíveis e não perecíveis para composição da merenda escolar, tiveram valor de R$ 443.855,79; e outros dois com o mesmo objetivo de atender os programas e secretarias do município, também com o mesmo valor respectivo de R$ 1.231.729,37 e R$ 99.348,00. O curioso disso tudo, é que apesar de tantos recursos destinados a merenda escolar, o ano de 2014 foi marcado pela falta rotineira de merenda nas escolas da rede municipal do município de São Pedro da Água Branca.

Limpeza… – Para além dos gêneros alimentícios, a H.M MOURA COMÉRCIO E SERVIÇOS E REPRESENTAÇÕES LTDA. também deveria ter fornecido à Prefeitura de São Pedro da Água Branca material de limpeza. O contrato, que visava atender as necessidades dos programas e secretarias do município, teve valor de R$ 1.191.254,00 (um milhão, cento e noventa e um mil, duzentos e cinquenta e quatro reais).
Por profº. Gilvan

Leia Mais >>

quarta-feira, 25 de março de 2015

EDUCADORES DE BOM JESUS DO TOCANTINS-PA, ESTÃO EM ESTADO DE GREVE

BOM JESUS DO TOCANTINS - PA - Os professores da rede municipal de Bom Jesus do Tocantins - Pa, cerca de 80 km de Marabá,  decidiram entrar em estado de greve em uma  assembléia geral realizada na Escola Municipal Raulino. A reunião ocorreu as 17hs da tarde desta quarta-feira(24).

A categoria se reuniu atendendo a uma convocação feita pelo, Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública de Bom Jesus do Tocantins – SINTEP BJT. Ficou definido que o sindicato terá a incumbência de negociar com o prefeito do município Dr. Sidney(PT) para convencê-lo a pagar o Piso Salarial a todos os funcionários que prestam serviços na educação municipal, caso o prefeito insista a não cumprir a Lei Nacional do Piso, a categoria entrará em greve por tempo indeterminado.

Fotos: Assembléia do SINTEP BJT
                                                    
                                                   
                                                                           
Greve em 2014

No ano de 2014 funcionários da educação de Bom Jesus do Tocantins-Pa,  entraram em greve por vários dias pelos seguintes motivos: Reformulação do Plano de Carreira do Magistério, Reformulação do Plano de Carreira dos Profissionais da Prefeitura 40%, Reformulação do Regime Jurídico Único; Cronograma de Licença Prêmio, Equipamentos de Segurança no Trabalho, Piso Salarial Nacional com Retroativo de Janeiro a Julho, Hora Atividade, Enquadramento dos Profissionais nas Suas Respectivas Classes e Níveis, Climatização das Salas de Aula, Água Filtrada Para os Nossos Alunos.

Lei Nacional do Piso da Educação

Em 16 de julho de 2008 foi sancionada a Lei n° 11.738, que instituiu o piso salarial profissional nacional para os profissionais do magistério público da educação básica, regulamentando disposição constitucional (alínea ‘e’ do inciso III do caput do artigo 60 do Ato das Disposições Constitucionais Transitórias).

1) Resolução define critérios de repasse de recursos do Fundeb para complementação do Piso Salarial Profissional Nacional.

A Resolução nº 7, de 26 de abril de 2012 do Ministério da Educação traz os novos critérios de complementação do Piso Salarial aprovados pela  Comissão Intergovernamental para Financiamento da Educação de Qualidade, composta por membros do MEC, do Conselho Nacional de Secretários de Educação (Consed) e da União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime). 

Essa resolução trata do uso de parcela dos recursos da complementação da União ao Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb) para o pagamento integral do piso salarial dos profissionais da educação básica pública.
Confira a resolução de 07 de abril de 2012.

Grevistas fizeram caminhada em 2014 por algumas ruas do município querendo o cumprimento do Piso Salarial Profissional Nacional – Lei nº 11.738, de 16/7/2008



Por profº. Gilvan

Leia Mais >>

terça-feira, 24 de março de 2015

Funcionários da Educação do Município de Bom Jesus do Tocantins-PA Estão em estado de greve



                           Foto: Bom Jesus do Tocantins-PA
Os funcionários que prestam serviços na educação do município de Bem Jesus do Tocantins, localizado no estado do Pará, estão em alerta de greve. O motivo alegado seria o fato de que o prefeito do município, Sidney(PT), insiste em não pagar os salários da categoria conforme determina a Lei do Piso nacional. 

O prefeito Sidney alega falta de recursos pra cumprir a lei, porém, para os representantes da categoria o município tem dinheiro sobrando além da conta.

Hoje os educadores irão se reunir em Bom Jesus para decidirem se entram em greve ou não.
Por profº. Gilvan

Leia Mais >>

Relatório de gestão fiscal da prefeita Carla Batista é apresentado com ausência de informações

Vila Nova dos Martírios – O relatório de gestão fiscal da Prefeitura de Vila Nova dos Martírios foi apresentado durante audiência pública realizada terça-feira (17) no plenário da Câmara Municipal. Porém, os dados apresentados levam suspeitas de ausência de informações e cálculos incorretos pelo município. O relatório foi apresentado pelo contador Marcelo Rodrigues Chaves e o controlador-geral do Município Itamar Batista da Cruz.
VILA NOVA - MARTÃ-RIOS 23-03O contador destacou que o município arrecadou no exercício um montante de R$ 22.375.459,63, incluindo receitas correntes e receitas de capital e um gasto total com despesas de pessoal de R$ 11.951.859,89 -- o que equivale a 53,42% do montante da receita arrecadada. Mas, de acordo com o presidente da Comissão de Orçamento da Câmara Municipal, vereador João Fredson Alves de Carvalho, o relatório está totalmente errado, pois o percentual que deve ser apurado é em relação a receita corrente liquida do município e não em relação a receita total arrecadada.
Segundo ele, no montante arrecadado no exercício houve R$ 1.292.236,66 de receita de capital o qual deverá ser deduzido do montante da arrecadação para apuração do percentual aplicado onde este percentual ficaria em 56,69% descumprindo totalmente o inciso III do artigo 20 da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF).
O vereador João Fredson questiona ainda que “as receitas correntes são, via de regra, aquelas provenientes de arrecadações de tributos, contribuições, de aluguéis de prédios públicos, serviços, e de alguma outra atividade, ou seja, são as receitas arrecadadas de forma contínua e “quase” permanentes. Já as receitas de capital, normalmente são representadas por ingressos de recursos financeiros oriundos de alienações de bens e de operações de créditos (empréstimos, financiamentos, emissão de títulos públicos, amortizações de empréstimos, etc) contratadas junto às instituições financeiras internas ou externas, são receitas arrecadadas de forma mais esporádicas”.
“É importante distinguir as receitas correntes das receitas de capital para corretamente interpretar o conceito literal de receita corrente líquida - RCL, estabelecido na LRF”, explica ele, que finalizou o vereador-presidente da comissão de orçamento da Câmara ao afirmar que relatório omitiu as informações quanto as despesas elencadas no § 1º do art. 18 da LRF - Outras despesas de pessoal decorrentes de contratos de terceirização, que em consulta ao sitehttp://www.governotransparente.com.br/transparencia/2439489/consultarliqdesporc, o Município de Vila Nova dos Martírios pagou aproximadamente 2 milhões de reais em contratos (serviços de transportes, consultoria e serviços médicos) e que a câmara deverá tomar providências legais quanto ao relatório apresentado. [Da Assessoria]

Por profº. Gilvan

Leia Mais >>

sexta-feira, 20 de março de 2015

Após denúncias e reclamações, transporte escolar no Povoado Cabeça Gorda volta a circular novamente na localidade


Vereadora Drª Lillian conversando e ouvindo as reclamações dos moradores do Povoado Cabeça Gorda 
Transporte escolar em Povoado Cabeça Gorda,  localizado na zona rural do município de São Pedro da Água Branca  é restabelecido após a vereadora Drª Lillian fazer denúncias  sobre o caso no Blog O Folheto.

Após perderem mais de um mês de aulas fruto do descaso de como a prefeitura trata a educação no município de São Pedro da Água Branca, os moradores do Povoado Cabeça Gorda voltaram a sorrir no dia de hoje(20/03), isso graças a regularização da circulação novamente do transporte público escolar na localidade.  Informações dão conta que as crianças deste povoado estavam sem estudar por falta de transporte escolar, desde o dia 07 de março, período no qual se iniciaram as aulas no município.

A Vereadora Drª Lillian foi convidada pelos moradores do povoado, compareceu e conversou com todos no dia 18/03 sobre o problema, orientando-os inclusive a buscarem imediatamente intervenção do Ministério Publico Estadual junto à prefeitura para que esta resolvesse o problema o mais rápido possível.

Após a repercussão negativa da matéria  publicada no Blog o Folheto, onde é relatado a forma desrespeitosa de como o prefeito Vanderlúcio  vem tratando a educação no Povoado Cabeça Gorda, o Secretário de Educação do município, Ivan Torres, determinou que uma van iria substituir o ônibus escolar neste trajeto até que o problema fosse resolvido em definitivo.
Por profº. Gilvan

Leia Mais >>

quinta-feira, 19 de março de 2015

Secretário de educação do município e o prefeito de São Pedro da Água Branca, Vanderlúcio Simão Ribeiro, são criticados por moradores do Povoado Cabeça Gorda por falta da regularidade no Transporte Escolar

Mãe faz fortes críticas ao secretário de educação de São Pedro da Água Branca
Estudantes das regiões rurais do município de São Pedro da Água Branca, estão sem frequentar as aulas devido à falta de transporte escolar. Pais de alunos reclamam da falta do serviço e afirmam que a quantidade de faltas ocasionadas pela ausência do transporte prejudicará o rendimento escolar dos filhos.

Desde o dia 7 de fevereiro do ano em curso, os estudantes da zona rural, moradores da Vila São Raimundo, mas conhecida como Povoado Cabeça Gorda, localizado no município de São Pedro da Água Branca, não comparecem as escolas da sede do município por falta da regularidade do transporte público escolar. Segundo informações repassadas pelos moradores do local, o ônibus responsável pelo o transporte dos estudantes passou por lá desde o início do ano letivo 2015, apenas 8 vezes de maneira bastante irregular.

Ainda segundo os moradores, o secretária de educação do município Ivan Torres, já foi informado sobre o problema por várias vezes, porém até ontem não tinha apresentado uma solução para o caso.

Recado para IVan e o prefeito Vanderlúcio!
A Vereadora Drª Lillian foi convocada pelos pais dos alunos e compareceu na localidade e viu de perto o drama sofrido por todos por conta do descaso do poder público.  “ Eu estou aqui na Vila São Raimundo atendendo ao pedido dos moradores desta localidade, é muito triste se deparar com uma situação de descaso desse nível, vamos acionar o ministério público imediatamente para intervir neste problema,  e encontraremos dessa forma uma solução satisfatória para esse povo sofrido” Disse a vereadora.
                                                                           
    
Líder comunitário seu Jorge reclama do abandono do povoado pelo poder público municipal
Você nos enganou seu prefeito
Olhe pra gente seu prefeito!
Por profº. Gilvan
                               

Leia Mais >>

terça-feira, 17 de março de 2015

Vereadora Drª Lillian denunciou em Sessão da Câmara nesta segunda-feira 16, desvios de recursos dos convênios de Pavimentação e Implementação de Infraestrutura Urbana e Turística da Rua São José


                      2.716.950,00 em recursos para a Avenida São José, muito dinheiro para pouca obra

Vereadora Drª Lillian Denuncia em Sessão da Câmara, desvios de recursos dos convênios da Pavimentação e implementação de Infraestrutura Urbana e Turística da Rua São José.

A Vereadora Drª. Lillian usou os microfones da Câmara de Vereadores, mas uma vez para denunciar os desvios de recursos dos cofres públicos do Município de São Pedro da Água Branca por parte do Prefeito Vanderlúcio Simão Ribeiro e seus familiares.

Para a Vereadora Drª Lillian é inadmissível que a Rua São José esteja em condições completamente intrafegável, mesmo depois de receber só em convênios nos últimos 3 anos, cerca de 2.716.950,00. A vereadora Disse ainda ser solidária ao ato de protesto dos moradores da Rua São José, que tiveram de interditar a avenida para chamar a atenção do prefeito Vanderlúcio e seu Vice-Pelezinho para o descaso de como estão sendo tratados pela atual administração.
             
Para a Vereadora, enquanto o povo sofre com poeiras, buracos e muita lama, o prefeito Vanderlúcio simplesmente aplica os recursos dos convênios que vieram pra fazer as obras na Rua São José, em terras e gado.

Plenário da Câmara recebeu visita de Bandeiqueiras que trabalham na Ferrovia Carajás, trecho que passa em São Pedro da água Branca

Na sessão desta segunda-feira, 16 de Março, o Plenário da Câmara, recebeu a visita das Bandequeiras de São Pedro da Água Branca, que trabalham vendendo comida na Estrada de Ferro Carajás. As Bandequeiras estavam reivindicando a regularização da circulação permanente e gratuita de um ônibus para transporta-las no percurso de ida e volta até a Estação de Ferro da Ferrovia Carajás, Local onde as Bandequeiras ganham a vida vendendo comida para os passageiros do trem da VALE.

Na Câmara, os vereadores fizeram uso da palavra livre e se manifestaram dando total apoio à causa das Bandequeiras. A Vereadora Drª Lillian apresentou uma Indicação ao Poder Executivo Municipal para tomada de providências com relação à resolução da problemática. O requerimento foi aprovado por unanimidade e deverá seguir rumo às mãos do prefeito Vanderlúcio.
Por profº. Gilvan

Leia Mais >>

  ©Blog O folheto - Todos os direitos reservados.

Template by Dicas Blogger | Topo