Informar bem é o nosso compromisso!

segunda-feira, 29 de agosto de 2011

O Folheto, São Pedro da Água Branca – Ma, 30 de agosto de 2011

                  PROPAGANDA REPETIDA CANSA
         



A MESMA LADAINHA DE SEMPRE!
    
                        
                        CALMA, EU VOU EXPLICA!
    Hoje completas exatamente 25 dias que as contas do município se encontram bloqueadas por ordem judicial. Os funcionários públicos da nossa cidade e os comerciantes em geral estão apreensivos e inconformados com tal acontecimento, haja vista que esse episódio vem causando muitos transtornos e prejuízos para todos.
     Segundo a representante do ministério público, a promotora NAHYMA RIBEIRO ABAS, o desbloqueio das contas da Prefeitura de São Pedro só deverá ocorrer mediante cumprimento da ordem judicial que manda reintegrar os 80 concursados que foram, segundo ela, demitidos de maneira arbitrária e ilegal.
                QUEM MALTRATA O EDUCADOR NÃO ACREDITA NESSA IMAGEM!

A sobra do FUNDEB é do educador e não deve ser desviado para outros fins.

                               A UTI MÓVEL SUMIU!


                                                      VIXE! ASSIM É DEMAIS

Leia Mais >>

quinta-feira, 18 de agosto de 2011

O Folheto, São Pedro da Água Branca – Ma, 21 de agosto de 2011 –  nº 08 – Ano 01 PG-01

     TERRA SEM OPORTUNIDADE É TERRA SEM POVO



Nossa cidade mais se assemelha a uma terra árida e erma do que a uma terra próspera e de oportunidades, porque oportunidades já não existem. Uma parcela significativa da nossa população está migrando à procura de trabalho e de uma estabilidade econômica favorável. Uma terra sem justiça social, desenvolvimento, igualdade e crescimento econômico propicia a fuga da massa que se sente abandonada e que luta pela sobrevivência num mundo mais competitivo e exigente.
Cotidianamente há pessoas deixando a cidade numa migração desenfreada, uma vez que nada é feito ou pode ser feito para mudar essa situação. Nossa cidade estagnou no tempo, mais parece uma terra atirada às traças, onde fazem o que querem pelo simples fato de terem poder pra isso: sem antes pensar no povo, sem antes colocar o amor pelo município acima das próprias pretensões.
O que estão fazendo da nossa cidade e com nosso povo? O que mais poderão fazer pra piorar as coisas? É verdade que se alimenta uma revolta pela degradação que o município sofre e que muitas pessoas encontram maneiras diferentes de lhe dar com isso; algumas continuam lutando contra o erro e o descaso, outras cruzam os braços, outras vão embora. Todas as pessoas, portanto, de modo particular, encontram forças pra manifestar a opinião e confessar o sentimento de descontentamento que sufoca o peito.
Acima do sentimento de afeto que muitos cidadãos de São Pedro da Água Branca têm por sua cidade natal, está a necessidade de sobrevivência, a busca por um trabalho digno que lhes permita uma vida melhor, porque o nosso reduzido mercado de trabalho encontra dificuldades pra se manter, visto que as poucas oportunidades conquistadas ainda são muito pequenas, considerando a escassez de serviços, isso sem deixar de ressaltar as vagas auferidas em concurso público por um público de trabalhadores que são impedidos de exercer suas funções, de trabalhar e de conquistar seu espaço no mercado de trabalho. Pode um negócio desse!? Aqui se pode tudo e mais um pouco, infelizmente essa é a cara dessa pequena parte do Brasil.
E o povo como fica? O povo nesse exato momento da nossa história não te vez, por isso deve ir embora, são quase expulsos do próprio lar, quase degredados da própria pátria. O que se percebe são vestígios de uma ditadura que ainda não morreu, um sistema político que perseguiu, condenou, torturou e baniu para fora o povo de seu país sem nenhum ressentimento ou amargura.
Pobres filhos de uma pátria que tem em suas raízes a perniciosa culpa da corrupção, da coerção e da injustiça – assim é o nosso povo.  Manchada por esses obstáculos, nunca poderá se desenvolver uma cidade a altura do que o povo merece para ser feliz e viver do seu trabalho, pisando em seu chão com orgulho e prazer. Enquanto isso não for construído, ou seja, as bases de uma cidade onde o cidadão permaneça no ventre do seu berço tendo condições favoráveis de uma vida estável; o que restará é o desfalecimento e a evidente decadência que assombra a esperança que se tem de melhorar.
Perder a esperança é deixar de sonhar, deixar de sonhar é deixar de acreditar nas coisas possíveis de serem realizadas e conquistadas. Não é saudável abandonar a crença de uma cidade melhor e mais rica para todos, somente por que nossa história até agora foi marcada por atos extremos de desinteresse pelo povo e suas prioridades. Ainda há tempo de resgatar a dignidade que cada pessoa traz consigo, na construção de uma cidade mais acolhedora  pra se viver, onde não seja necessário abandonar o chão amado. O povo não pode ser esquecido e tratado como com menosprezo. O povo é que carrega consigo a cidade, é que constrói o futuro da cidade, é que planta com o suor do seu trabalho a semente que germinará e que dará bons frutos.
                                                                       Francisco Balbino Sousa
Para refletir:
“Os poderosos podem matar uma, duas ou até três rosas, mas jamais poderão deter a primavera”.
                                                                                                          (Che Guevara)
“A esperança é pão do pobre”. (George Herbert)
“Porque o Senhor dá a sabedoria, da sua boca vem o conhecimento e o entendimento. Ele reserva a verdadeira sabedoria para os retos, escudo é para os que caminham na sinceridade”. (Provérbios. 2. 6,7)
O Folheto, São Pedro da Água Branca – Ma, 21 de agosto de 2011 –  nº 08 – Ano 01 PG-02
                           Até onde vai esse Excesso de propaganda?

Além da TV, os chatos e exagerados informes da prefeitura estão tirando o sossego dos moradores também na Praça São Pedro. Só ta faltando agora instalar um telão para fazer propaganda eleitoreira também na frente de cada escola, na praia do Cocal, na frente de cada igreja, em cada posto de gasolina, em cada farmácia, açougue, etc. 
    
       Será que esses informes são mesmo convincentes?
    Qual a diferença entre um vereador e um variado PARTE 2 
Um vereador defende a sobra da educação no bolso do educador;
Um variador fica calado enquanto os educadores reclamam de bolsos vazios;
Um vereador acima de qualquer coisa defende o cumprimento da lei dando bom exemplo;
Um variador faz vista grossa a quem descumpre;
Um vereador se posicionaria sobre os concursados, dizendo ser contra ou afavor;
Um variador não tem coragem de emitir opinião publicamente a respeito, fica aparentemente em cima do muro.
Um vereador é contra o crime de nepotismo;
Um variador defende abertamente o nepotismo.
    O QUE OS VEREADORES DEVERIAM FAZER POR NÓS?

Fiscalizar a aplicação dos recursos da saúde, beneficiando a população com uma saúde de melhor qualidade;
Fiscalizar a aplicação dos recursos da educação, beneficiando alunos com uma merenda decente, com carteiras suficientes para todos e professores com remunerações mais vantajosas e, portanto mais estimulados;

  Fazer uma Audiência pública com o prefeito e o secretário de finanças para explicar para a população por que as obras inacabadas ‘’NUNCA ACABAM’’.

          Tem gente que ainda diz que tudo vai bem!
                 Os professores só pensam NAQUILO!
             Muita gente anda dizendo por aí! 

Leia Mais >>

domingo, 14 de agosto de 2011

O Folheto, São Pedro da Água Branca – Ma, 11 de agosto de 2011 – nº 07 – Ano 01 PG-01

Prefeito de São Pedro e todo seu Secretariado terão seus pagamentos suspensos pela Justiça 
Ministério Público garante bloqueio de contas de São Pedro da Água Branca, Objetivo principal é garantir o pagamento dos servidores efetivos exonerados irregularmente 

 A pedido do Ministério Público, a Justiça bloqueou, em 5 de agosto, as contas do município de São Pedro da Água Branca (localizado a aproximadamente 600 km de São Luís). A finalidade é suspender o pagamento de servidores contratados irregularmente e dos que exercem cargos comissionados. Na lista, estão incluídos o prefeito Vanderlúcio Simão Ribeiro e todo o secretariado do Município. O objetivo principal do bloqueio é garantir o pagamento dos vencimentos dos 80 servidores públicos efetivos, exonerados irregularmente, ainda não reintegrados. Inclusive, dos vencimentos retroativos. Ministério Público garante bloqueio de contas de São Pedro da Água Branca, Objetivo principal é garantir o pagamento dos servidores efetivos exonerados irregularmente 
Também foi decidido que o prefeito deverá pagar multa no valor de R$ 5 milhões devido à não reintegração dos servidores efetivos. Para o Município, foi imputada multa de R$ 12 milhões.
A decisão acolhe o pedido de cumprimento de sentença homologatória de Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) celebrado entre Ministério Público do Maranhão e o Município de São Pedro da Água Branca em dezembro de 2010.
Na decisão de cumprimento da sentença ficou determinada a reintegração, no prazo de cinco dias, de 80 servidores concursados que foram exonerados irregularmente pelo prefeito e a demissão de todos os servidores contratados para substituir os funcionários efetivos. O Município não cumpriu a determinação judicial.
O pedido de cumprimento de sentença foi assinado pela promotora de Justiça Nahyma Ribeiro Abas, titular da Promotoria de Defesa do Patrimônio Público e da Probidade Administrativa de Imperatriz. São Pedro da Água Branca é termo judiciário da Comarca de Imperatriz.
AFASTAMENTO
Em maio de 2011, a pedido do Ministério Público do Maranhão, a Justiça já tinha decidido pelo afastamento do prefeito Vanderlúcio Simão Ribeiro, que descumpriu deliberadamente decisões judiciais que determinam a reintegração de servidores efetivos aos seus cargos e pagamento retroativo de seus salários.
Conforme relatou a promotora de Justiça Nahyma Ribeiro Abas, na Ação Civil Pública que resultou no afastamento do prefeito, assim que assumiu o cargo, em 2009, Vanderlúcio Simão Ribeiro suspendeu a eficácia dos atos de convocação, posse e nomeação de 235 servidores municipais aprovados em concurso público realizado em 2007.
Além disso, o gestor municipal contratou em 2011 mais de 100 pessoas para ocuparem as mesmas funções a que têm direito os servidores efetivos exonerados, privilegiando, em alguns casos, pessoas do seu grupo político.
Autor: Eduardo Júlio (CCOM - MPMA)
Oprogressonet.com

O Folheto, São Pedro da Água Branca – Ma, 11 de agosto de 2011 –  nº 07 – Ano 01 PG-02

              Em terra dos outros, caolho pensa que é rei.

Ele se esquece que a Justiça não é cega. Ela só está com a venda nos olhos, mas está enxergando tudinho, tudinho.
O que é isso? A que ponto alguns seres humanos chegaram! Será que a vida de gente boa e honesta e que rala de sol a sol para ganhar o pão de cada dia é menos importante do que suas ambições? Isso exige a reflexão sobre uma máxima de Mahatma Gandhi: “Há bastante riqueza no mundo para as necessidades do homem, mas não para sua ambição”. E como fica o amor e o compromisso que a sociedade merece? Meu Deus, a que ponto o homem chegou sem pensar no Outro! Isso é atroz.

                        Sempre tem alguém olhando
Nas mãos daqueles quem não pensam a máquina pública com compromisso e verdadeiro espírito cidadão, que não apresentam intenções de desenvolvimento e de trabalho, o dinheiro do povo é fonte de prazer, uma delícia, o pote de um mel delicioso onde se lambuzam com um apetite voraz.

Leia Mais >>

O Folheto , São Pedro da Água Branca – Ma, 01 de agosto de 2011 – nº 06 – Ano 01 PG-01

CORRUPÇÃO, INJUSTIÇA E IMPUNIDADE – AS FACES DO PROBLEMA SÃOPEDRENSE

 O grande Ulpiano (jurista romano – Tiro 150d.c – Roma 228d.c) definiu a justiça como sendo a vontade constante e perpétua de dar a cada um o que é seu. Antes disto, por volta dos anos 33, Jesus Cristo, após indagação dos fariseus, disse: “Dai a César o que é de César e a Deus, o que é de Deus (Mateus 22:21)”.
Seguindo este ensinamento cristão, pode-se afirmar que a justiça é a virtude moral que inspira o ser humano a respeitar os direitos de seus semelhantes. Mas infelizmente, muito distante desta orientação, alguns   homens e mulheres, vivem aberta e claramente praticando toda sorte de injustiças entregando-se à corrupção, às contravenções, à traição e à covardia.
                    Mas por que se cometem tantas injustiças? Ser virtuoso é ou não proveitoso? Afinal, a vida do injusto é melhor que a do justo?
                    Ao tempo de Sócrates 470a.C., segundo Glaucon, já se dizia que a prática de uma injustiça era por natureza um bem e sofrê-la, um mal. Desse modo, ao se cometer um ato injusto, objetiva-se alcançar vantagens em detrimento de outrem que sofrerá as conseqüências que queimam como fogo abrasador,  enquanto que o injusto gozará do prazer daquilo que adquiriu com seu ato injusto.
Ser injustiçado, de qualquer sina, é ser punido sem dever. Assim, todo aquele que sofre injustiça, bebe do cálice angustiante da decepção e é fortemente tentado a mergulhar no mar da descrença nas instituições, nas leis, tratados e convenções.
O ser humano vive numa incansável busca de objetivos próprios, sejam eles materiais ou espirituais e para alcançá-los, vivem justa ou injustamente.  Muitos empregam aquela forma e o fazem por impossibilidade de praticar esta. Por esse prisma, conclui-se que não se é justo por sua própria vontade, mas constrangido por acolher em seu entendimento que a justiça, mesmo não sendo um bem para si, deve ser individualmente praticada sob o risco de retaliação social ou condenação divina. A prova está naqueles que para fugir dos olhos vigilantes da sociedade, camuflam-se com roupagens de virtuosos e justos para ocuparem os lugares oferecidos àqueles que praticam a justiça, e o pior é que muitas vezes conseguem, pois em todos os níveis e setores da sociedade, desde o grande político ao simples eleitor; do grande patrão ao simples empregado; do mais poderoso e mais arrogante ao mais simples e submisso cidadão, todos são tentados a enveredar-se pelas sendas dos defeitos. Infelizmente   jovens, adultos, velhos senhores e senhoras são cooptados pelo mal e convencidos de que tudo podem. E isto, se dá pela falsa crença que muitos têm que não prestarão contas de seus próprios atos ou não serão punidos.
Se todos os defeituosos sociais ou espirituais tivessem a certeza que cometendo injustiça sofreriam a devida punição, é claro e óbvio que pensariam duas, três, dez vezes ou mais, antes de cometê-la.
A prática de crimes, contravenções, rebeldias e desobediência etc., sob o manto da impunidade traz prazer, é proveitoso. Como conseqüência, ainda projeta no plano social a imagem de que a vida do injusto e defeituoso é muito melhor que a vida do justo e virtuoso.
O povo de São Pedro mais do que nunca, precisa atentar-se para este gravíssimo problema.  A questão não diz respeito só aos poderes constituídos, mas sim, à todo cidadão que deve, responsavelmente, fazer cada um a sua parte, além de cobrar das autoridades, deve agir com justiça e sempre portar-se com honestidade com sua própria consciência. Desta forma, entende-se, a cidade caminhará de vitória em vitória, de decência em decência e a cada dia ficará melhor para se viver.
Dr. Albertino Alves Pereira
Advogado

Tais são os preceitos do direito: viver honestamente (honeste vivere), não ofender ninguém (neminem laedere), dar a cada um o que lhe pertence (suum cuique tribuere)".  Ulpiano.
“Dai, pois, a César o que é de César e a Deus, o que é de Deus (Mateus 22:21)” . Jesus Cristo .



O Folheto , São Pedro da Água Branca – Ma, 01 de agosto de 2011 – nº 06 – Ano 01 PG-02

Professor respeitado é professor com sua parte do FUNDEB no bolso.

Os professores aguardam ansiosamente pelo pagamento de sua parte do dinheiro do FUNDEB (RS 416.421,41).
     Uma pergunta não quer calar: O que fizeram com o dinheiro desses incansáveis trabalhadores? Com a palavra o Sindicato da Educação e a Comissão de Educação da Câmara de Vereadores.

                                                  A saúde 100


100 médicos permanentes nos postos de saúde e no hospital municipal; 100 medicamentos para todos os pacientes; 100 hospital decente para atender bem nossa população; 100 laboratório que faça os exames para auxiliar o médico em seu diagnóstico; e às vezes até 100 combustível na ambulância para socorrer os doentes mais graves.

                      Onde está o dinheiro?
 
Ser funcionário público municipal em São Pedro é um grande desafio. Os contratados não recebem 13ª salário nem férias. Quem trabalha nessa condição, além de trabalhar passando do limite, ainda é obrigado a conviver calado com atrasos salariais.
Ah! Os agentes de saúde não esqueceram que estão com dois meses sem receber seus salários e no caso deles, o governo federal religiosamente manda o dinheiro todo mês.    Oh! São Pedro velho sem sorte, Deus me livre!


                              Cadê a UTI móvel?  
Em 2011 a Presidente Dilma mandou uma UTI móvel para todos os municípios do Maranhão, mas infelizmente a que foi entregue para servir ao povo do Município de São Pedro encontra-se não se sabe onde, a mando não se sabe de quem. Será o que estão pensando em fazer com a UTI do povo? O povo precisa dela. 
                                   De mãos atadas.

Leia Mais >>


O FolhetoSão Pedro da Água Branca – Ma, 15 de julho de 2011 –  nº 05 – Ano 01 PG-01
              CORRUPÇÃO: UM ATO ANTISSOCIAL


A palavra corrupção tornou-se um termo bastante pronunciado nos meios sociais, geralmente carregada de um sentimento pejorativo, associado à escândalos políticos. E as pessoas se veem no direito de pronunciá-la com total liberdade, fazendo comentários de cunho político no direito de exercer uma opinião própria e crítica. O mais importante nisso tudo é que a corrupção não está longe da sociedade, ela é um espelho das nossas ações, um reflexo que funciona numa dimensão social.
A corrupção pode ser considerada uma chaga de conceito social, humano, político, religioso, dentre outros, que perpetua a miséria e que rompe com os grilhões de uma postura ética e moral. O fato de reconhecer as consequências danosas da corrupção como a principal geradora de todas as mazelas sociais, permite uma reação de indignação e repulsa por parte dos cidadãos.
Os efeitos de um ato de corrupção fere o sentimento humano e usurpa os direitos de cidadania que cada pessoa conduz em si, isso justifica a descrença numa política honesta, onde as bases de justiça, igualdade e integridade já não possam mais existir. Isso gera um ceticismo (sentimento de dúvida) geral numa sociedade amargurada pela desconfiança.
Cotidianamente nos vemos rodeados por notícias que envolvem suborno, extorsão, desvio de dinheiro e muitos outros crimes, que às vezes de tanto se repetir são por fim considerados normais e até aceitáveis como padrão de uma nova sociedade, que abandonou seus valores éticos. Portanto, diante de tais atrocidades é de grande importância que as pessoas possam repensar suas ideias e valores, principalmente ao discutir a corrupção como um assunto ligado à decisão política e suas consequencias pra toda a sociedade.

O que se propõe colocar em evidência, é que antes de qualquer coisa devemos repensar nossas ações e escolhas como cidadãos, ou seja, questionar nossos comportamentos e sentimentos de alteridade e de empatia pelo povo. Geralmente as pessoas são impulsionadas a tomar decisões e optar por escolhas egoístas sem jamais considerar o bem estar coletivo e o desenvolvimento da cidade como um todo. Quando se discute a corrupção no meio político, as pessoas não percebem que tudo é semelhante a uma teia, onde o que se vê nada mais é do que a reprodução de uma corrupção que se encontra dentro de cada um.

Antes mesmo de falar sobre corrupção e julgá-la como algo vil e desumano, é necessário que cada cidadão se coloque numa posição mais crítica, sabendo que seus atos não são ações isoladas, porque à medida que as ações humanas são adotadas numa relação de venda ou troca de favores, priorizando com isso, o bem-estar próprio, abandonando o próximo a sua sorte e reproduzindo a desigualdade no meio social, através de um quadro de exclusão, miséria e de sucateamento da máquina pública (poder público) ele se torna verdadeiramente – corrupto.
À medida que a pessoa vende sua integridade, ela perde seu direito de cidadão e também perde sua liberdade de expressão e de reivindicação. Como poderia lutar contra a corrupção numa dimensão pública? Como poderia exigir justiça social? Como poderia fazer críticas, se também me torno um sujeito corrupto?
São estas indagações que precisam mobilizar a sociedade, para um futuro onde as bases da coletividade sejam fortalecidas nos princípios de igualdade e melhoria das condições de vida de todas as pessoas. É claro que a sociedade se corrompeu a um nível alarmante, não há dúvidas sobre isso, mas não é ético aceitar e difundir a corrupção com tolerância; nem aceitar que ela é um mal irreversível e de que todas as pessoas já foram contaminadas. A corrupção se assemelha a uma doença, contudo uma doença que pode ser sanada, pois a cura está nos nossos valores como autênticos seres humanos.
                       Francisco Balbino Sousa
Para refletir:
 “Mais do que de máquinas, precisamos de humanidade. Mais do que de inteligência, precisamos de doçura. Sem essas virtudes a vida será de violência e tudo estará perdido”


                                  Charlie Chaplin



 O FolhetoSão Pedro da Água Branca – Ma, 15 de julho de 2011 –  nº 05 – Ano 01 PG-02
Bola cheia  para os servidores da educação do município que se entregam completamente á busca e transmissão do conhecimento aos nossos filhos, mesmo tendo que sacrificar suas férias por culpa da desorganização da secretaria de educação e isso, sem receber sua parte dos R$ 416.000,00(quatrocentos e dezesseis mil reais) da sobra do FUNDEB enviada pelo governo federal.
   Bola murcha para alguns vereadores, principalmente para aqueles que se intitulam defensores da classe dos educadores e para o Sindicato da Educação que até o momento não se manifestaram de maneira contundente a respeito das sobras do FUNDEB e  optaram simplesmente por aceitar que o dinheiro dos professores, RS 416.421,41 (quatrocentos e dezesseis mil, quatrocentos e vinte um reais, quarenta e um centavos) seja gasto pelo Prefeito sebe lá Deus com quê. Quem te viu, quem te vê!

Tá pensando que o povo é  ?
O Prefeito de São Pedro da Água Branca mantém de forma inabalável sua repugnante fama de descumpridor da lei.
É do conhecimento de todos que o Supremo Tribunal Federal há tempos proibiu o nepotismo que é a distribuição de dinheiro público á parentes por meio de nomeação para ocupar cargos de confiança. Mesmo assim, o referido Prefeito mantém os dois filhos e a esposa ocupando cargos de secretário no Município.

                                         Mau exemplo!
Já se foi o dia em que os prefeitos serviam de bons exemplos para a população que o elegeu. Nos dias de hoje, alguns descumprem mandados judiciais, promovem gastanças descabidas com o dinheiro do povo, perseguem abertamente adversários políticos, demite aqueles que ele sabe ou desconfia não ter votado em candidatos que ele indicou etc. Ainda  bem que tudo na vida passa!
             Qual a diferença entre um vereador e um variador?
Um vereador faz projetos e fiscaliza a aplicação dos recursos públicos, defendendo dessa forma os interesses da comunidade em geral. Um variador não faz projetos, não fiscaliza o dinheiro do povo e enquanto a maior parte da população diz que tudo vai mal, ele variando sempre diz que tudo vai bem.                         
                                        Saúde doente
                                                        

A saúde no povoado de Primeiro Cocal encontra-se abandonada apesar do Município de São Pedro da Água Branca estar recebendo mensalmente os recursos enviados pelo Governo Federal para manter uma equipe formada por um médico e um enfermeiro padrão para prestar assistência permanente no posto de saúde daquele povoado.  Um dos moradores do povoado diz que não entende, se o dinheiro vem todo mês por que eles não estão sendo beneficiados? “Isso é uma falta de respeito”. Desabafa o morador!

                          Vixe! É dinheiro demais da conta 
 
        
A população de São Pedro, não era pra estar reclamando muito, isto porque dados do governo federal presente no portal da transparência (www.portaltransparencia.gov.br) demonstra que de 2008 até agora já entraram nos cofres do município mais de 45 MILHÕESS DE REAIS, é dinheiro suficiente pra melhorar a vida de muita gente.

                         Quando ELE voltar pedindo voto ...

Leia Mais >>

sexta-feira, 5 de agosto de 2011

O Folheto       São Pedro da Água Branca – Ma, 01 de agosto de 2011 – nº 06 – Ano 01 PG -01

CORRUPÇÃO, INJUSTIÇA E IMPUNIDADE – AS FACES DO PROBLEMA SÃO-PEDRENSE
 O grande Ulpiano (jurista romano – Tiro 150d.c – Roma 228d.c) definiu a justiça como sendo a vontade constante e perpétua de dar a cada um o que é seu. Antes disto, por volta dos anos 33, Jesus Cristo, após indagação dos fariseus, disse: “Dai a César o que é de César e a Deus, o que é de Deus (Mateus 22:21)”.
Seguindo este ensinamento cristão, pode-se afirmar que a justiça é a virtude moral que inspira o ser humano a respeitar os direitos de seus semelhantes. Mas infelizmente, muito distante desta orientação, alguns   homens e mulheres, vivem aberta e claramente praticando toda sorte de injustiças entregando-se à corrupção, às contravenções, à traição e à covardia.
              Mas por que se cometem tantas injustiças? Ser virtuoso é ou não proveitoso? Afinal, a vida do injusto é melhor que a do justo?
          Ao tempo de Sócrates 470a.C., segundo Glaucon, já se dizia que a prática de uma injustiça era por natureza um bem e sofrê-la, um mal. Desse modo, ao se cometer um ato injusto, objetiva-se alcançar vantagens em detrimento de outrem que sofrerá as conseqüências que queimam como fogo abrasador,  enquanto que o injusto gozará do prazer daquilo que adquiriu com seu ato deletério.
Ser injustiçado, de qualquer sina, é ser punido sem dever. Assim, todo aquele que sofre injustiça, bebe do cálice angustiante da decepção e é fortemente tentado a mergulhar no mar da descrença das instituições, das leis, tratados e convenções.
O ser humano vive numa incansável busca de objetivos próprios, sejam eles materiais ou espirituais e para alcançá-los, vivem justa ou injustamente.  Muitos empregam aquela forma e o fazem por impossibilidade de praticar esta. Por esse prisma, conclui-se que não se é justo por sua própria vontade, mas constrangido por acolher em seu entendimento que a justiça, mesmo não sendo um bem para si, deve ser individualmente praticada sob o risco de retaliação social ou condenação divina. A prova está naqueles que para fugir dos olhos vigilantes da sociedade, camuflam-se com roupagens de virtuosos e justos para ocuparem os lugares oferecidos àqueles que praticam a justiça, e o pior é que muitas vezes conseguem, pois em todos os níveis e setores da sociedade, desde o grande político ao simples eleitor; do grande patrão ao simples empregado; do mais poderoso e mais arrogante ao mais simples e submisso cidadão, todos são tentados a enveredar-se pelas sendas dos defeitos. Infelizmente   jovens, adultos, velhos senhores e senhoras são cooptados pelo mal e convencidos de que tudo podem. E isto, se dá pela falsa crença que muitos têm que não prestarão contas de seus próprios atos ou não serão punidos.
Se todos os defeituosos sociais ou espirituais tivessem a certeza que cometendo injustiça sofreriam a devida punição, é claro e óbvio que pensariam duas, três, dez vezes ou mais, antes de cometê-la.  
A prática de crimes, contravenções, rebeldias e desobediência etc., sob o manto da impunidade traz prazer, é proveitoso. Como conseqüência, ainda projeta no plano social a imagem de que a vida do injusto e defeituoso é muito melhor que a vida do justo e virtuoso.
O povo de São Pedro mais do que nunca, precisa atentar-se para este gravíssimo problema.  A questão não diz respeito só aos poderes constituídos, mas sim, a todo cidadão que deve responsavelmente, fazer cada um a sua parte, além de cobrar das autoridades, deve agir com justiça e sempre portar-se com honestidade com sua própria consciência. Desta forma, entende-se, a cidade caminhará de vitória em vitória, de decência em decência e a cada nascer do sol o dia despontará trazendo mais alegria e com ela mais prazer para se viver.
Dr. Albertino Alves Pereira
Advogado

Tais são os preceitos do direito: viver honestamente (honeste vivere), não ofender ninguém (neminem laedere), dar a cada um o que lhe pertence (suum cuique tribuere)".  Ulpiano.
D“ai, pois, a César o que é de César e a Deus, o que é de Deus (Mateus 22:21)” . Jesus Cristo .

Leia Mais >>

  ©Blog O folheto - Todos os direitos reservados.

Template by Dicas Blogger | Topo